em baixo e bom tom

17 novembro, 2009

uma palavra no ouvido.
ela emudeceu.
umideceu.
e subiu o vestido.

 

Triste poesia à mão

1 novembro, 2009

Eu me apaixonei pela mão.
Não foi pelo olhar encantador, a boca macia, a fala rouca e tranqüila.
Foi pela mão.
Que desde a primeira vez que senti
Quis que ela morasse aqui.
Não era grande nem miúda. Era do meu tamanho certo.
E sabe qual é a melhor coisa de se apaixonar pela mão?
Tem uma outra de reserva.
Duas semelhantes e completamente opostas.
Que quando me tocam, eu não consigo
segurar um gemido, um sentido
contido.

A mão mexeu comigo.

Me deixou sem rumo e sem dedos pra te conquistar.
Pra te segurar.
Ela cansou do mesmo lugar.
E me largou, delicada,
desenhando um adeus
no ar.

vendem-se lésbicas

10 outubro, 2009

ok, o título do post pode sugerir outra coisa, outro assunto para outro post…

esse aqui é só uma análise profunda de alguns anúncios lésbicos que andei vendo por aí. não vai ter foto das globais da arezzo pq esse assunto já é passado, neam? então tá.

lesad1

LEGENDA:
morena: ‘oi gatam, tá calor hoje aqui na neve, né?
loira: é. por isso resolvi abrir uma skyy. vamos tomar umas?
morena: opa! vamos tomar onde mesmo? hahaha…
loira: não entendi.
morena: xá pra lá, lôra. me diz só uma coisa – isso tudo aí é silicone, nénão?
loira: só te digo depois de beber umas 6 dessas.

 

bolsa2

LEGENDA:
– essa bolsa é minha
– não, essa bolsa é minha, mas eu deixo você usar. Se você conseguir, né?
– como assim?
– sabe, a bolsa é grande, seus ossos vão doer. Depois não vem reclamar, tá?
– invejosa! Por que você não vai se olhar no espelho antes de falar de mim?

 

bonita

sorridente: ‘nossa! como você tá bonita hoje! um pouco azul, mas bonita.’
bonita: ‘gostou, princesa? então vem comigo que vou te levar no meu novo ford rumo ao paraíso.’
sorridente: ‘mesmo sendo o capeta, né? hehe.. brincadeirinha.’

 

pé2

– você tá feliz comigo, amor?
– ah sei lá, não sei… acho que não. você quer mesmo ter uma D.R. agora?
– quero sim, olha pra mim, pro meu pé.  sou sapatão.

 

santropeito

“Proteja-se de doenças sexualmente transmissíveis. Use luvas Knog.”

 

depilar

– mozinho, eu não acredito que você esqueceu a gilette! Poxa vida, juntei 8 salários para passarmos o fim de semana nesse hotel e você nem pra se depilar, porra?
– calma mozão, é só fechar os olhos e apagar a luz.

ui

18 setembro, 2009

você foi embora.
na minha mão ficou um cheiro seu
que agora me toca bem fundo
até misturar com o meu.

(até na siririca tem poesia, minha gente! rsrs)

Uma viagem lésbica passada em algum canto da bucólica Sapacity

27 agosto, 2009

Dora era colecionadora de beijos.
Gostava de experimentar gostos e texturas variadas.
Tinha uma memória labial incrível –
era capaz de lembrar de cada boca beijada.

Assim vivia a vida de seus 20 e poucos com alegria.
Nunca tinha se apaixonado, e nem queria.
O negócio era sair beijando
e andando.

Até que um dia Dora conheceu Nina,
uma menina das redondezas.
Beijou.
Gostou.
Mas no dia seguinte descobriu que a beijada tinha sapinho na boca
e brigou.
Foi com a menina tirar satisfação,
e aprontou confusão.
Como poderia sustentar a fama de beijoqueira com a boca de sapinho?
Teria que ficar em reclusão.

De tanta raiva, ia todo dia
discutir com Nina, tadinha.
Até que foi conhecendo, se aproximando,
e pimba! Se apaixonando.
Mas daí a menina já tinha se curado e conseguido uma namorada, a Ada.
Danada.
Que não deixou por menos e foi dando paulada.
em Dora
que todo mundo adora,
e cujo coração
não aprendeu lição.
Todo dia ela ia
ter com Nina
uma conversinha.
Boba.
Que virou flerte.
Que virou trio.
Triângulo amoroso.
Não muito gostoso
quando Ada descobriu.
‘- Sai daqui, beijoqueira safada,
a Nina não quer mais nada.
Fique afastada, senão vou te dar porrada!’
Dora saiu de mansinho.
Boca apertada, engolindo a seco
Palavras tão duras, repetidas baixinho.

Mas Dora tinha o poder do beijo,
uma ponte para o perdão.
E lá foi ela então.

Ada não queria saber de palavra,
iria perdoar sim.
Só se Dora lhe beijasse.
A boca
e não a face.
Dora recusou.
Ada surtou.
Nina escondida,
se revelou.
E seu namoro com Ada
ali acabou.
 
Nina saiu feliz batendo sola
enlaçou seu braço em Dora
e aqui termina a história.

rapidinhas

19 agosto, 2009

to meio sem tempo – há um tempo – de escrever textos maiores.
então seguem uns minicontos temáticos:

BODAS DE PRATA
uma fumou um maço de skank.
a outra bebeu a adega da casa.
Foi uma uivante noite de sexo, depois de quase 1 ano.

Pena que elas não se lembram.

 

CIÚMES
– Hoje o Bob não vai participar.
– Por que, amor?
– Sinto que ele está penetrando mais em nossas vidas do que deveria.

 

FORMADORA DE OPINIÃO
Não tenho o menor interesse em saber o que dizem as más línguas.
Tenho vontade de sugá-las.
Até que digam o contrário.

no salão

2 agosto, 2009

– O que vai querer? Luxúria?
– Não, não curto muito. Prefiro Paixão.
– Ih menina, tá em falta. Volúpia? É parecido…
– Volúpia não me cai bem.
– Deixe Beijar então?
– Sim! Só a mão, por favor. O pé não.

homenagem do mês

16 julho, 2009

e a homenagem do mês vai pra essa loira que muitas podem achar sem graça, mas que eu adoooooro! pq ela é foda (como atriz, eu digo).

NAOMI WATTS

naomi1

naomi3

naomi2

 

daí como as homenagens não podem passar em branco, fiz abaixo uma música em tom de axé pra Naomi, que é pra ela entrar no clima tropical brasileiro e se soltar mais quando vier à Sapacity.

NAOMI ABANDONA

Tira os pés do chão
E põe na minha cama eô
Pula em cima de mim
E diz que
é minha mucama êo êo

Levanta as mãos pra cima
Braço esquerdo e o direito
Que eu vou cair de boca
No sabor do seu
quei-xo!

Refrão:
Agita mulher que maravilha
Se enrosca Naomi na minha virilha
Agita coisa linda do meu bem viver
Que meu estômago quer digerir voooooocê!

Êo iaiá Naomi abandona! (2x)

Se você bater palminha
Eu bato bem na tua cara
Gringa, fica quieta,
mas sorria e não pára.

Ô princesa senta aqui
Como seu fosse sua lambreta
Que eu vou afundar meus beijos
na sua bo-
checha!

Refrão

Planejamento familiar

30 junho, 2009

Você estava programado pra nascer no dia 21 de Agosto, numa daquelas manhãs secas de pouco sol.
Em uma das portas da maternidade um enfeite bordado saído das mãos de sua avó materna indicaria o quarto aos visitantes: ‘Antonio’. A enfermeira te enrolaria numa manta azul e te entregaria para a mãe dar o peito, enquanto olhasse pra mim sorridente e confirmasse: ‘é um belo varão, papai!’
Aos 2 anos eu te levaria a um estádio para assistir um clássico do futebol. Você iria pular no meu colo quando fizesse gol e se esconder no meu ombro quando soltassem fogos.
Aos 5 eu te colocaria em classes de judô e brincaríamos de luta quando eu chegasse do trabalho.
Aos 10, conversaríamos sobre o primeiro beijo e alguns anos mais tarde sobre sexo. Com 16 você tomaria seu primeiro porre e enquanto ouvisse um discurso ditatorial de sua mãe, eu te daria um tapinha nas costas: ´pega mais leve da próxima vez, meu filho´.
Amanhã você faria 20 anos. Provavelmente estaria cursando faculdade, talvez longe de casa. Será que estaria namorando, amando? Seria loira ou morena? 

Amanhã você faria 20 anos.
Se tivesse nascido no dia 21 de Agosto.
Se tivesse nascido, Antonio.
Mas um erro médico fez com que a sua vida não acontecesse.
Um erro médico deu espaço à vinda da Rafa, que nasceu prematuramente em Julho.

E nada do que eu tinha planejado com você foi alterado.

Hoje, a minha menina já com 20 anos está no 3º ano de faculdade, namorando e amando.
Só ainda não sei se é uma loira ou uma morena.

Dia das Namoradas em Sapacity

10 junho, 2009

Com a proximidade da data festiva-comercial- e romântica por que não? – do dia das namoradas, Sapacity promove o festival imaginário de casais além mar! Mulheres que gostaríamos de ver juntas nas mídias de fofoca, na boca do povo ou dependendo do caso, em nossas camas. 

Abaixo, compartilho algumas das sugeridas:

Christiane Torloni & Jodie Foster

jodie e cris

Claro! As minhas musas da infância, adolescência, juventude, fase adulta, balzaca e futuramente idosa não poderiam deixar de ter um romance fictício nesta vida. Imaginem só! Não existem nem palavras nos dois vocabulários linguísticos aos quais elas pertencem para descrever tamanha emoção diante desta possibilidade.

Winona Rider & Adriana Calcanhotto

winona-e-adriana

A atriz é (declaradamente) doida.
A cantora é (aparentemente) doce.
Então imagine se um dia a clepto da Winona roubar o coração da Calcanhotto?
No mínimo, estaria por vir uma bela canção.

 Katherine Moennig & Ana Paula Arósio

ana-paula-e-kate

Elas são modernas, jovens, bonitas e atrizes. Elas se entendem.
Se tiver casamento, Ellen DeGeneres será o padrinho.
Se tiverem um filho, certamente nascerá com os dentes brancos e perfeitos.

Susan Boyle & Marlene Matos

marlene-e-susan

Daí que a Susan tá precisando de uma empresária, né minha gente? Então não consegui mais perfeita combinação de unir o ‘útil ao agradável’. Se bem que a parte do ‘agradável’ eu tenho minhas dúvidas…
Susan, a gente quer que você seja beijada um dia, mas a gente entende se neste caso não rolar, tá?

Amy & Angela Ro Ro

angela--e-amy

Todo mundo merece ser feliz na vida, é ou não é?

Angelita é a pessoa certa que pode fazer Amy entender que o que pulsa no seu sangue quente não precisa ser necessariamente heroína.
Que a heroína pode vir sim, mas em forma de mulé, uma mulé grande e sabida que cante entre os dentes da frente ao pé do seu ouvido: Amo a vida a cada segundo, Pois para viver eu transformei meu mundo, Abro feliz o peito, é meu direito!”. Abra o peitinho Amy e se joga!!! (mas vai por cima tá? que por baixo pode machucar!)

Então tá! Se alguém tiver sugestão de casais de namoradas imaginárias ‘além mar’ que fale agora ou então só no próximo dia das namoradas!

mudando o rumo da prosa

26 maio, 2009

ok, chega de só falar besteira neste blog.
aí vai um textinho sério, então.
bem de sapatão fera ferida (não é o meu caso, mas obviamente já foi um dia).

***

quero você de mãos vazias

Tire sua mão daí.
Tire agora, tá machucando.
Não tá vendo?
Olhe pra mim.
Não tá vendo?
Abra o olhos
Vou te falar,
última vez,
saia.

Sua mão outro dia
me deu tudo
o que agora
sufoca, aperta.
Não tá vendo?
Vou te falar
Eu sinto muito.

Tire logo sua mão daqui.
Deixe ele bater no meu ritmo
Deixa ele frouxo,
isso, assim,
Já respiro.
Já consigo
pensar.
Não mais
em você.

***

(mais um do mesmo tema)

EXAME CARDIOLÓGICO

Resultado: Teste máximo, escalonado. Não houve relato de sintomas específicos.

Eu sabia que conseguiria passar por você.

L’ile Desert

7 maio, 2009

Podem confessar que vocês estavam com saudades da Ilha Deserta! Podem falar, eu sei, o ser humano adora um sofrimento, e esse ano estou sendo muito boazinha pq até agora não coloquei ninguém em situação de impasse aqui. Então vamos lá!

(Ps: para quem não sabe do que estou falando, clique aqui. Ou aqui. Ou ainda aqui.)

Como esse é o ano da França no Brasil, a ilha vizinha à Sapacity será invadida pelas mais belas atrizes francesas, aquelas de fazer o queixo cair quando dizem “oui oui”.

Pois bem, mas como o lema da ilha é que “não há alegria sem dor”, vamos às opções. E você só pode escolher uma:

 

EMMANUELLE BÉART 8 anos sem depilar

emmanuelle

 Não é nem preciso dizer que aí já se formou rastafáris naturais, certo? Que saem do ventre e vão até o joelho. Que brotam das axilas e se misturam com o cabelo. E você, que é chegada num lance de cera e de pele, vai ter que se virar, nega. Quer sair da ilha? Então puxe a mulher pelos tufos e caia de boca. Se você conseguir não morrer engasgada/asfixiada, você ganha um kit prestobarba e pode sair da ilha acompanhada da bela. lisinha. 

JULIETTE BINOCHE – 6 meses sem escovar os dentes


juliette

Estão vendo esse sorriso lindo? Ele não sabe o que é uma escova de dentes há mais de 6 meses. Juro. Além de tudo, ela já está cansada de dar beijo técnico, então da próxima vez que alguém encostar em sua boca, terá que ser pra valer. Ela vai grudar e não soltar mais, igual àqueles concursos de shopping de quem beija por mais tempo. Pois então, quem conseguir beijar por 24h, sai da ilha sozinha, com 1 vale limpeza bucal. Quem superar as 48h ganha além de tudo, uma escova + pasta para dar um último beijo na moça – desta vez, com frescor – antes de sair. Agora quem superar 3 dias inteiros sem desgrudar da boca suja, leva tudo: a Binoche, a pasta, a escova, os coqueiros, as conchinhas, pq fia… vc merece!

AUDREY TATOU – 1 ano sem tomar banho

audrey

A Audrey é o machinho da ilha. Ela é quem caça pra dar de comer às outras atrizes, constrói  cabanas, lava roupas, corta lenha, puxa fiação, troca o chuveiro, pratica tiro ao alvo e flexão. A única coisa que ela não faz é entrar no mar. Tem pavor da água. Faz mais de 1 ano que ela adotou o método cascão. Usou tanto perfume pra fazer o filme da Coco Channel, que chegou à conclusão de que banho não era mais uma necessidade em sua vida. Então ela vive numa área isolada da ilha, que ninguém consegue se aproximar, nem as jaguatiricas. Nem os borrachudos. Nem nada que tenha nariz. Vai encarar? Boa sorte. Você sai da ilha, só que sozinha, pq Audrey já é praticamente um homem das cavernas e vai querer ficar lá pro resto da vida.

EVA GREEN – hermafrodita

eva-green

A Eva é novinha e ingênua. Ao invés de pegar conselhos com suas colegas de trabalho de como se portar num set de filmagem, ela pegou os 2 mocinhos com os quais atuou no filme “Os sonhadores”, e de tanto dar uns amassos nos hómi, virou hermafrodita. Isso mesmo, na ilha deserta da fantasia a Eva tem falo. E é muda. Virou bixo do mato, não conversa com ninguém, só fica andando pelada pela ilha com aquele negócio balançando entre as pernas. Quem levar a Eva pro mato e fizê-la gritar de prazer, sai da ilha e ganha a moça. E ainda tem direito a cortar seu pinto fora e arremessá-lo aos tubarões.

FANNY ARDANT – COMPLETEMENT ARDANTe
fanny

Essa é propriedade intelectual, carnal e surreal de Sapacity. Patrimômio tombado (em algumas partes, é natural). Mas mesmo assim, eu levanto a bandeira. Fanny!
Quer levar a Fanny pra dar uma voltinha de jangada? Facinho, é só dar uma bela cantada…em francês! Mas lembrem-se: é só uma voltinha pra nunca mais. Ela volta pra Sapacity e você fica na ilha pra sempre.

 

ET VOILÁ!

atenção nas curvas

23 abril, 2009

sabe essa curva que se forma
onde a orelha termina
e começa o ombro?
essa tua foi feita
pra encaixar o meu rosto.
pra repousar os meus lábios
no teu pescoço.

homenagem do mês

8 abril, 2009

A MULHER DO PAPA

Vou ter que começar esse texto me desculpando pela sinceridade que será exposta nas próximas linhas.

Toda vez acontece alguma tragédia na Itália eu pulo em frente à TV numa animação de total descontrole.
Interessada na notícia, claro (mas eu poderia me informar pelos jornais/internet, que prefiro). porém, ainda mais interessada na cobertura da globo. Ok, realmente interessada na repórter que faz a cobertura para a globo: Ilze Scamparini.

 

Confesso que acompanhei a morte do papa por alguns dias.

 

Confesso que acompanhei outras notícias importantes, mas que não consigo me recordar, porque no fim das contas eu não prestei muita atenção no sentido das palavras e sim de onde elas saíam.

 

Confesso que estava com saudade da Ilze até acontecer este fatídico terremoto.

 

Mas daí descobri que há formas menos dolorosas de me encontrar com a Ilze, em arquivos do Globo Repórter espalhados pelo youtube. Deixo um aqui para vocês se deliciarem: ou com a Ilze ou com o tema da reportagem. A mim, os dois apetecem. 

 

 

Ilze!!! vou plantar uma parreira na minha casa em Sapacity só pra você vir me entrevistar!
amassaremos as uvas com nossos pés de unhas cortadas e limpas e depois nos embriagaremos fermentadas por um inexplicável entusiasmo, que não envolverá rolhas de qualquer espécie.

hahaha!

 

ok, passou o surto. 

 

mas fica a homenagem.

 

a festa prometida

3 abril, 2009
.
Oração da semana, santa!
Santa Fufas do meu bem querer
Escutai as minhas preces
antes que se inicie outra semana, Santa!
Faça cair em minha agenda uma festa incrível
repleta de meninas lindas e faceiras
meninos fofos, e qualquer outra espécie de gente animada.
Dai o prazer de me acabar na pista de dança
E sair de qualquer tipo de abstinência que o Destino colocou no meu caminho,
aquele safado.
E que o paraíso esteja ao meu alcance.
Assim como um copo de cerveja, vodka ou uísque, não necessariamente tudo junto, nessa ordem.
Faça essa caridade, Santa.
Que eu triunfarei, você vai ver.
E que meus pensamentos pecaminosos
se concretizem.
E findo, peço que me guie somente onde a luz me favorecer.
E assim seja.

 
 
::LAS FUFAS e os ursos::

Dia 4 de Abril, amanhã!

 

flyer_las_fufas_04_2009
informações: http://lasfufas.blogspot.com

Sapatongue´s Adventures

27 março, 2009

OBS: se você nunca leu alguma das aventuras de Sapatongue, clique aqui, para compreender a saga desta invejável heroína.

Sapatongue estava cansada de não fazer nada.
Essas férias superprolongadas com ausência de aventuras trouxe-lhe à tona uma palavra de arrepiar a periquita: atrofiação.
Pior do que a imagem de um sapo virando príncipe, era a sua língua de sapa ficando miúda.
Mas tudo era fruto da imaginação perturbada de uma lésbica sem rumo. E então já que ainda perambulava pelo velho continente, pegou uma daquelas passagens de EU2,99 e se mandou para Londres. Inglês é o básico e ia ser mole, mole e úmido aprender a língua.

Aterrizando na ilha gelada cheia de rainhas duvidosas, curry nas esquinas e bêbados se equilibrando, ela ficou encantada com tanta gente sortida: altas, ruivas, negras, gordinhas, peitudas, pequenas, modeletes, brecholentas, donas de casa. Era um mundo de possibilidades.

Nossa heroína usou de seu charme para descobrir onde era o lugar certo para se jogar de cabeça, literalmente. Não foi difícil, uma vez que resolveu juntar as duas únicas palavras em inglês que sabia: ‘pussy’ e ‘bar’. E foi perguntando para a mulherada na rua: “pussy? bar?. “pussy? bar?”. As 3 primeiras ouvintes saíram correndo, quase xingando. Mas a 4ª foi simpática, captou a mensagem e passou o endereço de um bar cheio de pussys.

E lá foi ela ao Candy Bar, no famoso bairro gay da metróple. Numa rápida metralhada, seu olhar captou, dentre tantas dykes indefinidas, uma moça, sozinha, bebendo, no balcão. Tava fácil. Se aproximou com um sorriso, e sentou seu olhar infalível ao lado da jovem. Pediu uma pint. Virou em menos de 30 segundos. Estava sedenta, nossa heroína. A garota achou bizarro. Depois engraçado. E por fim, bateu palmas. Sapatongue pegou em sua mão e a conduziu para o que chamam lá de ‘ladies room’. Na verdade, ela foi fazer a linha banheirão mesmo! Não ia agüentar pegar nenhum subway (por mais pontual que fosse), ônibus vermelho ou táxi preto para chegar em um lugar mais privado. Estava babando de vontade.

Jogou a menina contra a parede sem mesmo perguntar sua graça, e logo a despiu de roupas e pudores. Não gastou nem 1 minuto com beijos na boca e outras carícias – foi descendo, tateando linguamente até chegar no alvo certeiro. ‘Pronto, já era’, pensou, ‘vou sair daqui cantando a discografia completa dos Beatles depois dessa entrada triunfal’. Enquanto trabalhava seu órgão muscular, a presa, já quase incrustada na parede, ia cada vez mais gemendo e soltando palavras sacanas e desconexas, que por sinal, eram super compreensíveis à nossa heroína. Ela estava amando aquilo: conseguia entender o que a menina falava, e mal tinha começado seu prazeroso exercício. Então, se empolgou bestamente e não parou nem quando foram bater à porta do banheiro. Não parou, não parou, não parou até que… viu fog de arco-íris. A moça caiu desmantelada em seus braços ali, naquele chão sujinho. Sapatongue, mesmo com a língua frouxa, quis bater papo:

Pussy… – era a única palavra que vinha à sua cabeça

A moça sorriu.

What’s your name crazy girl?

Sapatongue fez cara de espanto.

Oi? Num entendi…
Não acreditooo! Você também é brasileira? Que ótimo!
– Como assim? Eu pensei que fosse gringa!
– Não, eu moro em Londres, mas sou brasileira.
– Putz… (pausa). Pelo menos você tá por dentro do novo acordo ortográfico da língua portuguesa?
– Novo… quê?

E lá se foi nossa heroína, meio cabisbaixa, sem aprender inglês, sem ao menos se atualizar no português, mas feliz de ter colocado seu precioso ‘bem’ em prática novamente.

*****   *****  *****

Confira aqui as outras Aventuras de Sapatongue:

Sapatongue na Holanda
Sapatongue na França
Sapatongue na Itália

Rebu

10 março, 2009

– Quem é aquela?

– É a Fernanda, ex da Manu, lembra?

– Qual Manu?

– A que namora a Carla.

– Mas a Carla não namora a Bia?

– Não, elas terminaram.

– Jura? Não sabia.

– É menina, a Bia terminou com a Carla pra ficar com a Bruna. E agora a Carla está com a Manu.

– Ahn…entendi. Gente, mas é que essa Fernanda não me é estranha… ela também já não ficou com a Carla?

– Ficou, mas faz tempo. Foi na mesma época em que a Carla namorava a Tati.

– Qual Tati?

 

– A sua namorada.

 

*** 

Moral da história: ‘já que sois lésbica, rebuceteie e goze’

musa do carnaval

19 fevereiro, 2009

a minha musa do carnaval
não tem samba no pé.
e talvez nem saiba o que é axé

a minha musa do carnaval
é bem estrangeira
loira, de primeira.

a minha musa do carnaval
me deixa feliz,
no silêncio de um nascer do sol
ou no meio do grito de um puxador

a minha musa do carnaval
me deixa com água na boca
só de olhar para ela.

a minha musa do carnaval é verde por fora.
e por dentro, amarela.

a minha musa do carnaval é a Stella:

stella_artois

 

E que todas tenham um carnaval bem ébrio e feliz!

 

(se beber, não dirija – vá de carona com a gata!)

da série: loucas mulheres amadas

1 fevereiro, 2009

– você me ama?
então descasque essa laranja pra mim?

– você me ama?
então lave minhas calcinhas?

– você me ama?
então revise o meu TCC?

– você me ama?
então leve meu gato pra tosar?

– você me ama?
então só tenha D.R. comigo 1 vez por ano?

– você me ama?
então pinte minha casa?

– você me ama?
então me compre um dildo novo? já com pilhas, por favor.

– você me ama?
então me pague um cruzeiro lésbico?

intervalo

22 janeiro, 2009

sapacitanas do meu brasil,

enqto a vida anda corrida e um pouco diluída (hum… um dia formulo uma teoria pra isso, mas no momento é só pra rimar mesmo), coloco abaixo alguns vídeos que passam nos intervalos das TVs de Sapacity.

lingerie

bebidas

mais bebidas

gente! tenho que providenciar um AA em Sapacity, definitivamente.

e os efeitos que o alcool trás (ok, desisiti do AA).

e como não podia faltar… tem sempre umas tosqueiras: